domingo, 21 de setembro de 2008

Outra vez...


... sobre o Momento da Verdade:

Não vou falar sobre o formato cuscuvilheiro e plastificado do programa, nem sobre a falibilidade do polígrafo. Vou simplesmente referir que aquela família de Gondomar, reflete muito bem a realidade do nosso país e a nossa mentalidade Tuga.

Começam por ir ao programa achando-se que são os maiores do Mundo, os Reis-da-cocada-preta, que chegam ali e, sem problemas de maior, vão levar todo o carcanhol para casa. Têm a certeza que no final vão ser considerados ídolos e heróis nacionais, os verdadeiros sucessores do Zé Maria.

Demonstram outra verdadeira faceta lusitana: independente do que façam, gostam sempre de dar nas vistas e mostrar opulência. Mesmo que não tenham onde cair mortos. O senhor-bimbalhão-de-Gondomar gosta de ter e mostrar que tem sempre a carteira bem recheada. "Ando sempre com 400 euros ou mais na carteira. Diariamente." Podia ser construtor civil, podia ser futebolista, podia ser outra coisa qualquer. Mas não. É merceeiro. Em Meda. Tal como o Sr. Merceeiro, aqui em Portugal gosta-se muito de mostrar aquilo que não se tem, de "mostrar sempre a carteira cheia de dinheiro". Mesmo que não haja dinheiro para nada. Tiques de novo-riquismo ou então uma saloice atroz que nos está nos genes.

O filho, lá aguentou a humilhação pública de ouvir dizer que o pai não tem orgulho nele, que a mãe foi sovada "com um estalozito" e que o pai até abafava a palhinha se fosse pelo dinheirinho (dessa maneira, para além dos 400 euros na carteira, também podia por algumas notas a sair do bolso da camisa e acender o cigarro da mulher com uma nota de 100, para dar sainete). Para compor o ramalhete e mostrar que não é só o pai que é bimbo, decidiu levar uma meínha branca para mostrar a castidade e pureza daquela famíla.

Tal como muitas outras famílias, aquela vive da fachada e das aparências. Porque afinal de contas, o que interessa é o que parece, não o que é ou o que realmente são enquanto pessoas, enquanto seres. É o que os outros podem ficar a pensar de nós.... Mesmo que nós sejamos os maiores FDP! Enfim, que tristeza....

Um grande hasta a todos e boa semana de trabalho!

P.S - Foto tirada no Gêres, numa das caminhadas.

4 comentários:

miguelpontocom disse...

Assino por baixo, que tipo de gente é esta que expõe a vida privada desta maneira, quando o único prémio é dinheiro, vale a nossa vida menos que o dinheiro?!

Para mim, não.

alfabeta disse...

Ups, considera o comentário do miguelpontocom o meu , porque eu estava logada com o usuário dele, ok?!

kel disse...

Ora nem mais! Confesso que esta semana foi a primeira vez que decidi (e me lembrei, durante um momento de zapping) de espreitar a nova maravilha da TV portuguesa e foi, nem mais nem menos, o comentário que fiz - "aqui está o sempre actual retrato da sociedade portuguesa". É triste pensarmos que no séc. XXI ainda existem homens daqueles e mulheres completamente submissas aos mesmos, que acham normal que ele seja uma real besta, que se faça às mulheres dos amigos e ainda por cima lhe dê "nas trombas". É igualmente deprimente que continuemos a ter um país que, mesmo em tempo de crise, gosta de viver ao "faz de conta" e ostentar o que não tem... Mas não deixa de ser real e não podemos culpar apenas aquelas aves raras que se sujeitam por meia dúzia de tostões ou, no caso, por nada. A própria televisão que deveria ter alguma preocupação com a formação das pessoas, se demite desse papel e alimenta o vedetismo e a estupidez alheia.

É verdade que também eu assisti ao programa, até porque não gosto de falar sem conhecimento de causa ou criticar só porque sim e acho que todos devem ver pelo menos uma vez para tirar as suas conclusões. Eu dúvido que consiga voltar a vê-lo e tenho pena que seja o serão de domingo de muitos dos portugueses.

Bjos e boa escrita!

A Ovelha Choné disse...

E isso foi o que conseguis-te recolher com aquilo que eles deixaram transparecer, agora imaginar teres de conviver diariamente com este tipo de pessoas e mentalidade. Ás vezes/ muitas vezes sinto vergonha...